top of page

Resposta ao Padre Jean-François Mouroux

+

PAX


Por S. Exa. Revma. Dom Tomás de Aquino, OSB


O Rev. Pe. Jean-François Mouroux, superior do priorado de São Paulo, numa carta dirigida a seus fiéis, procura prepará-los para as futuras sagrações na Fraternidade São Pio X ¹.


Ele aproveita a ocasião para falar da Resistência. Escreve:


“Temos exemplos do contrário (ou seja, exemplos de leviandade em matéria de sagrações): o movimento conhecido como ‘Resistência’, liderado por Dom Williamson desde 2012, já tem sete bispos, sem contar os secretamente consagrados que poderiam sair da cartola a qualquer momento”

É bom lembrar que em 1988 havia seis bispos na Tradição: Dom Lefebvre, Dom Antônio de Castro Mayer, Dom Williamson, Dom Tissier de Mallerais, Dom de Galarreta e Dom Fellay.


Dom Lefebvre havia pedido a Dom Antônio de Castro Mayer, em 1987, que indicasse alguns padres de Campos para serem sagrados em 1988. Mesmo se Dom Antônio não respondeu nada na época, um bispo (ou mais de um) levaria o número a, ao menos, sete. Onde está a leviandade? Onde está o excesso de bispos? O mundo é bastante grande e o número de fieis que querem a Tradição não é pequeno e está espalhado pelo mundo inteiro. A Igreja sempre teve muitos bispos. Não é o número, mas o princípio que justifica as sagrações. Este princípio, Dom Lefebvre já o expôs. Nós não fazemos senão segui-lo. Além disso, dois dos bispos da Resistência têm mais de 80 anos. Não vejo onde está a leviandade.


A Resistência tem muito menos fieis do que a Fraternidade. Mesmo assim, as mesmas viagens que cansam os bispos da Fraternidade cansam também os da Resistência. Sete bispos não é demais.


O que é mais importante na grave crise levou Dom Lefebvre a sagrar em 1988, e que levou Dom Tissier a sagrar Dom Licínio em 1991, é o que levou Dom Williamson a sagrar também. Esta crise é a apostasia da Roma de tendência neomodernista e neoprotestante.


É isso o que nos fez manter-nos afastados desta Igreja Conciliar, como aconselhou Dom Lefebvre, dizendo que este era um dever estrito de todo sacerdote que quisesse permanecer católico.


Não foi nem é a recusa de uma autoridade o que moveu e move a Resistência. Logo que um Papa fiel à Tradição se assentar no trono de São Pedro, o episcopado dos bispos da Resistência deverá ser posto nas mãos desse Papa para que dele disponha como desejar, conforme a autoridade que lhe foi conferida por Nosso Senhor.


Que Nossa Senhora do Bom Conselho nos guie e nos faça chegar ao porto seguro da eternidade, tendo conduzido muitas almas à salvação eterna para a glória de Deus Pai, Filho e Espírito Santo.


________________

1 - Cf. Boletim do Priorado Notre-Dame du Pointet, janeiro, fevereiro, março de 2024, posto à disposição dos fiéis no domingo 24 dezembro: https://www.medias-presse.info/la-fsspx-annonce-des-sacres-prochains-sans-mandat-et-demande-a-ses-fideles-de-ne-pas-etre-troubles/183975/


U.I.O.G.D.

Recent Posts

See All

The invisible and silent persecution

By His Excellency Bishop Thomas Aquinas, O.S.B. 9th March 2024 + PAX The invisible and silent persecution In his book The Century of Hell (page 402), in the chapter entitled "The French Disaster", Cor

BISHOP DE CASTRO MAYER

By H.E. Bishop Thomas Aquinas, O.S.B. What would Bishop de Castro Mayer say about the current situation of Tradition? What would he say about the desire or willingness to come to an agreement that we

Comentários


*Articles published by third parties do not necessarily reflect the opinion of the Monastery of Santa Cruz and their publication is for informative purposes only.

The total or partial reproduction of texts, photos, illustrations or any other content on this website by any means is prohibited without the prior authorization of its author/creator or administrator, in accordance with LAW No. 9,610, of February 19, 1998.

bottom of page